FDA estuda ligação entre dietas com rações ‘grain free’ e doença cardíaca em cães

Luiz Antonio Santos, Editor

O FDA – Food and Drug Administration, agência executiva federal de saúde dos Estados Unidos, está conduzindo investigação sobre a ligação entre o aumento do número de cães diagnosticados com miocardiopatia dilatada e as dietas livres de grãos e com alta inclusão de lentilhas, ervilhas, legumes e batatas.

A entidade informou, no segundo semestre de 2018, que está em fase de investigação dessa relação e, inclusive, abriu um canal de comunicação para que tutores e médicos veterinários do Estados Unidos relatem casos de incidência da doença cardíaca e informem a dieta que vem sendo administrada ao animal.

Estudiosos do FDA justificam o alerta pelo grau acentuado de cães com miocardiopatia dilata, quando o músculo cardíaco perde poder para bombear satisfatoriamente sangue para as partes do corpo e, com isso, aumenta de tamanho. Segundo a agência, um traço comum une os casos mais recentes de diagnóstico: a maior parte dos cães recebe uma dieta composta por rações ‘grain free’ e com generosas porções de batatas, ervilhas e lentilhas.

Embora a prevalência dos diagnósticos seja de cães de porte grande, como Cocker Spaniel, Golden Retriever, Labrador, Setter e São Bernardo, o FDA salienta os relatos recentes da doença em Schanuzer miniatura e Shi Tzu.

dog blog mostra ervilha como possível causadora de miocardiopatia dilatada em cães

Taurina

Uma suspeita, ainda não completamente estudada, aponta para uma menor presença do aminoácido não essencial taurina nessas dietas, bem como de seus precursores metionina e cistina, a partir das quais os cães realizam a síntese. Ervilhas, batatas e lentilhas poderiam estar privando os cães da produção da taurina.

As funções da taurina são fortalecer a musculatura cardíaca, facilitar a excreção de substâncias não mais úteis para o organismo e inibir neurotransmissores em estados cerebrais de convulsão.

 

Como identificar sinais de miocardiopatia dilatada

Letargia, tosse persistente, dificuldade de respirar, fraqueza e falta de apetite. A progressão dessa situação sem tratamento pode levar à insuficiência cardíaca congestiva.

 

Sem pânico!

Como o FDA alertou mas não apresentou conclusão, a própria entidade bem como profissionais da área recomendam que revisem as dietas de seus cães, caso sejam baseadas em rações e estilo ‘grain free’ e com alta inclusão de vegetais, junto a veterinários especializado.

A oferta de carnes como fígado, cortes bovinos e pescados é recomenda como fonte de proteína para os cães, substituindo o excesso de vegetais para essa finalidade.

Lisa M. Freemna, Ph,D da Tufts University (universidade privada de pesquisa em Massachusetts) fala sobre a falta de informações conclusivas para essa relação: “São ingredientes de grande desafio para se trabalhar. Nós ainda não sabemos se é uma deficiência de taurina ou a biodisponibilidade ou, ainda, a toxicidade.”

Mais informações

https://bit.ly/2DGD4Bs

dog blog com cão apático